Tem ideia de uma startup? Um produto? Colocou tudo em um canvas e consegue ver o sucesso no horizonte? E agora, qual o primeiro passo? Lembre-se: não basta apenas criar um app mirabolante, mas toda uma estrutura por trás dele que faça seu produto se tornar um sucesso.

O primeiro ponto e o mais importante é: segure a ansiedade.

Um projeto bem-sucedido é composto por três fases: Paixão, Racionalidade e Execução.

  1. Paixão – Ame o empreendedorismo

Você deve ter uma paixão – empreender. Não adianta se empolgar com uma ideia e não amar a arte do empreendedorismo. Transformar uma ideia em uma empresa requer princípios básicos do ofício de empreender: consistência, perseverança, coragem e conhecimento. Se quer fazer tudo do jeito mais confortável e ser um em um bilhão, talvez acerte. Porém, se for apostar assim alto, jogue na Mega-Sena que você terá mais chance que um sucesso imediato no empreendedorismo.

cta-meio1

Você deverá dedicar sua vida a essa arte. Criar uma ideia e executá-la de maneira inovadora e disruptiva, para que impacte a vida das pessoas.

Se tem vontade de devorar livros de empreendedorismo, acha maravilhoso o trabalho que inovadores pelo mundo estão fazendo, então parta para a Fase 2.

  1. Racionalidade – Encontre sua ideia

Achou que eu ia dizer para amar sua ideia? Nunca! Você deve amar o empreendedorismo e não sua ideia. Afinal, sua ideia irá levar mais pancada que lutador de MMA até se tornar uma campeã. E, se você estiver apegado a ela, isso poderá afetar sua visão e transformar a crítica à sua ideia em algo pessoal. E não é. Sua ideia não é você. Sua ideia é o início de uma empresa e, como todas as empresas, deve estar preparada para tudo, inclusive o fracasso.

Por isso antes que tome qualquer decisão guiado pela emoção, aja com racionalidade. Exponha sua ideia com muitas outras e a confronte. Peça a pessoas que a confrontem. As grandes ideias são criadas a partir dos desafios. Quanto mais você fizer isso, mais afiada sua mente empreendedora estará na hora de elaborar grandes ideias e, consequentemente, mais preparada para o mercado sua ideia estará.

Assim como Platão, Sócrates e Aristóteles duelavam em discussões com seus colegas em busca de lógica, sua ideia deverá passar pelo mesmo processo.

Depois disso, busque dados no mercado, entreviste potenciais clientes e siga toda a metodologia consolidada de Steve Blank para começar.
Se quiser saber mais sobre isso, clique aqui.

  1. Execução

Fez o canvas? Validou a ideia? Confrontou-a? Escolheu entre outras 30 opções?

Então parta para a execução! O primeiro passo é a definição do escopo do seu Mínimo Produto Viável, ou MVP. Encontre a funcionalidade que apresente o maior valor ao seu app e avalie as dificuldades de implementação. Depois execute os passos a seguir.

1. Defina o wireframe com um UX designer.
O wireframe irá possibilitar a visualização de seu sonho com uma imagem do início de tudo. Sua primeira versão irá sofrer muitas modificações ao longo do tempo, todavia é importante que você já tenha um ponto de partida.

2. Defina o layout e a identidade visual de sua aplicação.
Parta para a personalização de seu sonho. Com que cores você o enxerga? Quais os movimentos? Com auxílio de um profissional qualificado, dê personalidade à sua aplicação.

3. Programar, programar e programar!
Junte um time completo de programadores e coloque-os para trabalhar. No entanto conduza tudo com planejamento. Se não tem know-how em tecnologia, contrate um consultor para guiá-lo nesse processo.

4. Teste sua aplicação de todas as formas.
Você busca credibilidade, certo? Para conseguir fidelizar usuários, seja B2C, B2B ou de qualquer modelo, teste muito. Siga padrões de processos de testes funcionais e outros.

5. Lance, divulgue e venda! Saiba mais.
Antes mesmo de colocar no ar, comece a vender. Contudo, quando de fato tiver lançado, foque seus recursos na venda e não mais no aperfeiçoamento da aplicação. Primeiro prove que há um mercado para você e depois o escute e veja em que direção ele aponta.

Este é o ciclo. Aqui você mesmo define seu destino.

cta-final1

 

Comentários